Notícias

Cuidado e atenção 24 horas por dia

 

 

Foco das preocupações na pandemia da Covid-19, os abrigos de idosos são espaços desafiadores. Na ILPI da Fundação Lucas Araújo, as atenções foram redobradas

     A atenção ao idoso é uma das áreas mais desafiadoras da sociedade. Hoje, o setor conta com estudos, projetos e metodologias que orientam as ações, permitindo um cuidado mais assertivo. Contudo, o grande desafio está no dia-a-dia das Instituições de Longa Permanência. Oferecendo atenção 24 horas por dia, multiprofissionais desempenham atividades, revezam turnos e buscam, diariamente, encontrar as melhores estratégias para possibilitar qualidade de vida a quem já não pode contar com a família. Na Fundação Beneficente Lucas Araújo, cerca de 60 idosos recebem esse cuidado em tempo integral.

Você sabe como funciona uma ILPI?
     Uma Instituição de Longa Permanência para Idosos, ou os antigos abrigos de idosos, são espaços regulados pela Anvisa e fiscalizados pelas Vigilâncias Sanitárias locais, por meio das Secretaria e Saúde, além do Ministério Público Estadual, chamados também de residências para idosos. No caso da ILPI São José e São João XXIII, mantidas pela Fundação Lucas Araújo, as casas têm um funcionamento ainda mais específico, justamente por se tratar de uma entidade beneficente.

     Para manter os atendimentos, a Fundação conta com uma equipe multidisciplinar 24 horas por dia. Trabalhando em turnos, eles se revezam para contemplar todas as necessidades dos residentes. Hoje, a ILPI tem em atuação profissionais como médico, dentista, fisioterapeuta, enfermeiros, cuidadores, nutricionistas, administradores, psicólogo, assistente social, além de profissionais que atuam na limpeza e alimentação.

     São, no mínimo, seis refeições diárias, banhos, higienização, corte de cabelo, lavagem de roupas, troca de cama, atividades diárias e rotineiras que demandam muito de toda a equipe. De acordo com Cláudia Rocha, responsável administrativa pela ILPI, o funcionamento ocorre em três turnos de trabalho: das 7h às 13h, das 13h às 19h e das 19h às 7h. Dentro desses períodos, as ações são realizadas. Em épocas normais, a visitação dos familiares ocorre das 14h às 17h30min e os que não comparecem são chamados pela assistente social para verificar o motivo da falta de contato. Hoje, com as restrições, as visitas estão proibidas por tempo indeterminado.

Além das atividades corriqueiras e administrativas, a equipe também se preocupa em oportunizar e permitir que os idosos tenham condições de praticar atividades físicas, culturais e de lazer, movimentações fundamentais para qualidade de vida do corpo e da mente.

A Covid-19 e as mudanças
     Tudo precisa seguir sendo feito e todo cuidado foi redobrado com a chegada do novo coronavírus no país e na cidade, que hoje, está entre as cinco mais afetadas pela doença.

     A readequação foi intensa e tem sido feita diariamente. De acordo com o diretor da Fundação, Luiz Costella, a cada dia o cenário é avaliado e, com ele, as práticas realizadas dentro da ILPI são revisadas, acompanhando as orientações externas e também a realidade da Entidade. “Tem sido muito desafiador encontrar as maneiras corretas e fazer com que todo esse funcionamento complexo siga seu fluxo, mesmo diante de tantas restrições. Temos conversado muito. Ouvimos os trabalhadores, as autoridades e estamos nos esforçando para que todos fiquem bem e seguros”, destacou, lembrando que as medidas que vem sendo adotadas pela Entidade foram colocadas em prática antes mesmo da determinação municipal, como forma de prevenção.

     Entre as mudanças, muitas que também precisaram de investimento financeiro e, por isso, a Entidade tem contado com a comunidade, empresas e lideranças para dar conta das demandas. Costella destaca que o Plano de Contingência, como é chamado, é adequado diariamente e toda a equipe revê normas, formas e medidas para minimizar e prevenir a incidência do coronavírus.

     Segundo Cláudia, a ILPI tem colocado em prática e respeitado todas as orientações dos órgãos de saúde com o objetivo de proteger os idosos, os funcionários e também os familiares. “Depois da pandemia, tivemos que nos readequar. Hoje, na entrada e saída dos funcionários é feita a verificação da temperatura, se atingir uma temperatura acima de 37.7, ele já é encaminhado para o Cais de suporte à Covid-19. O funcionário também precisa fazer uma troca de roupa. Ou seja, hoje, ele tem que ter uma roupa para uso interno e outra para quando ele sai”, exemplifica.

     Como medida preventiva, a Entidade organizou um quarto de isolamento, que serve, por exemplo, para os idosos que retornam de internações anteriores ao coronavírus e que, antes de voltarem às atividades normais, permanecem em isolamento para garantir a saúde de todos.

Quer ajudar? Fale com a Fundação
     A Fundação Lucas Araújo conta com recursos próprios oriundos dos valores arrecadados pelos alugueis das propriedades residenciais e empresariais, investimentos feitos a partir da doação, em testamento, do Coronel Lucas Araújo. Além disso, a Entidade desenvolve projetos também no Lar da Menina Pe. Paulo Farina e conta com a parceria de diversas instituições e organizações.

     Para colaborar com as atividades, é possível fazer doações em dinheiro em uma das contas correntes, bem como realizar doações em alimentos, materiais de limpeza e higiene.

Contas

Caixa Econômica Federal
Agência 0494 (Passo Fundo)
Operação: 003
Conta corrente: 1653-7

Banrisul
Agência 0315 (São Cristóvão, Passo Fundo)
Conta corrente: 06.000199.0-8

 

 

Voltar