Notícias

Depois de 56 anos de trabalho, uma homenagem merecida

 
 

 

      Pe. Paulo Augusto Farina empresta a partir de agora o nome ao Lar da Menina da Fundação Lucas Araújo

      Como parte das comemorações dos 85 anos da Fundação Beneficente Lucas Araújo, na sexta-feira (24/05) a direção da entidade, juntamente com colaboradores, amigos, comunidade e lideranças, realizaram uma homenagem ao pe. Paulo Augusto Farina, que agora empresta seu nome ao Lar da Menina.

      A atividade foi o ápice das comemorações que aconteceram durante o mês de maio e contou com a presença dos colaboradores do Lar da Menina, escolas Menino Deus e João Busato e das instituições de Longa Permanência São José e João XXIII, além de representantes de entidades, lideranças comunitárias e políticas. O evento começou ainda na tarde de sexta-feira com a presença da equipe da Rádio Planalto que apresentou o programa Planalto nos Bairros diretamente da Fundação.

      Na opinião do diretor, Luiz Costella, o momento foi de grande emoção e movimentou toda a comunidade interna. “Mesmo sendo o mais novo nesta entidade, conheço o trabalho incansável do pe. Paulo e pude perceber, ao longo deste tempo que estou aqui, o quanto os funcionários e colaboradores valorizam o trabalho realizado por ele. Essa homenagem é justa e representa esse carinho e reconhecimento de todos que trabalham aqui ou que utilizam os serviços prestados pela Fundação”, destacou.

Surpresa e merecimento

      A ideia surgiu em uma conversa entre Costella e o arcebispo da Arquidiocese de Passo Fundo, Dom Antônio Carlos Altieri. Segundo o Dom Altieri, que também é presidente da Fundação, o reconhecimento é merecido. “Toda a comunidade de Passo Fundo conhece o trabalho desenvolvido pelo pe. Paulo. Quando conversamos, concordamos que, depois de 56 anos de atividades e de todas as conquistas, desafios e lutas vencidas, era mais do que justo que ele recebesse essa homenagem”, ressaltou.

      Emocionado e surpreso, o homenageado lembrou o início das atividades e os desafios de ser um jovem sacerdote à frente de uma grande obra social. Aos 83 anos e desde os 27 no comando dos trabalhos, ele agradeceu o carinho recebido. “Jamais imaginaria receber tamanha honra. Fico feliz de saber que tudo que foi feito é reconhecido pela comunidade e tenho certeza de que esse trabalho terá continuidade com o Luiz Costella e a equipe, trabalhando pelo bem das crianças e dos idosos, sempre pensando de forma humanizada e cristã”, frisou o agora superintendente emérito.

Voltar